Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

dona-redonda

dona-redonda

Desafio de Escrita dos Pássaros # 2.5


redonda

Acordas e tudo o que mais desejavas realizou-se: conta-nos o teu dia.

 

 

Acordei e ouvi vozes, a minha avó a conversar com a minha mãe. Levantei-me e fui ter com elas.

Para que o Mundo possa permanecer quase tal como é, não me disseram como é o depois, apenas que existe um, mas não foi preciso dizerem-me para que ficasse então a saber, que não perdemos ninguém, permanecemos ainda que tenuemente ligados, e como haverá um reencontro, existe um sentido.

No resto do dia poderia fazer o que faço sempre, poderiam ter continuado comigo, ou poderia ter sido apenas uma visita breve, sem explicação, mas real.

A minha avó morreu quando eu tinha onze anos e depois dela houve outras perdas, mas aqui estou sobretudo a escrever sobre a primeira.

Quando acontece, o mundo vai ficando mais feio e vazio, e perco também os pedaços de mim de como era com eles, como deixei de ser neta quando deixei de ter avós.

O que mais desejava é esse reencontro ou enquanto estou viva, saber que é possível, que vai suceder, ter esperança ou fé.

IMG_0042.JPG

Desafio de Escrita dos Pássaros, 2.4 O Google está errado


redonda

O Google está errado

 

Como o Google está errado???

 

O horror toma posse de mim.

Em choque e incrédula continuo a escrever.

 

Errado, o Mago super sapiente a quem recorro sempre em primeira e última instância?!!!

Quando quero saber mais sobre algum facto histórico, cinema, músicas, pinturas, livros, ter a certeza sobre como se escreve uma palavra – antes e após acordo ortográfico – traduzir de outra língua uma palavra ou um texto, dicas sobre receitas de cozinha, lavagem de roupa, doenças e medicamentos, perder tempo com notícias que não interessem a ninguém, encontrar o endereço para blogues, etc. etc. errado?!!!

Mas, Ele sabe sempre tudo!

 

Pequena pausa porque me ocorreu grande ideia, vou perguntar ao Google o que é Ele acha disto e já volto (…).

 

De volta e já mais tranquila: pode ter havido erros, mas o Google corrigiu-os e corrige-os.

Estamos salvos. Posso respirar de alivio de novo.

O Google pode errar de vez em quando, sublinhe-se, muito de vez em quando, de certeza, mas Ele corrige! Merece que continue a confiarmos Nele, a deixar-nos guiar por Ele!

 

Desafio de Escrita dos Pássaros # 2.3 Manual para iniciar relacionamentos


redonda

Manual para iniciar relacionamentos

Para começar deite fora todos os manuais, inclusive este… mas só depois de o ter lido

REGRA PRIMEIRA, MAIS IMPORTANTE E ÚLTIMA

Não há regras, não há manuais.

Podem-se iniciar relacionamentos de mil e uma maneiras…

mas a ser assim…. então talvez se possa conservar algum manual ou manuais que se tenha, porque por sorte podem coincidir no que dizem com uma das mil e uma maneiras de se iniciar um relacionamento

(bem mais importante do que o iniciar, pode ser o como terminar ou como manter um relacionamento).

Em princípio, para iniciar um relacionamento poderá ser boa ideia não ficar em casa, excepto se a nossa casa for frequentada por alguém com quem queiramos iniciar um relacionamento, (mas o que estaria lá a fazer sem que tivéssemos já um qualquer relacionamento?)

Ocorreu-me agora que também se podem iniciar relacionamentos através da Internet. Como tendo blogues, participando em desafios de escrita, etc., e aí em princípio poder-se-á estar em casa.

Portanto ir lá para fora (esquecendo o que consta dos anteriores parágrafos) e estar disponível, arriscar, querer de verdade conhecer alguém que também esteja interessado em conhecer-nos (excepto se for um psicopata assassino)

Poderá ser o início de uma bela amizade.

Outras ideias, como ouvi hoje ou melhor ontem, arranjar um cão e ir passeá-lo, ir assistir a um jogo de futebol e dizer mal da equipe dos adversários, excepto se só tivermos conseguido um lugar no meio deles, e sair com amigos que trazem outros amigos.

Por fim, irei revelar aqui e pela primeira vez, a regra de ouro que nunca falha para se iniciar relacionamentos que é:

 (já não vai ser possível porque excederia o limite de palavras, só por isso)

Como consigo com grande sucesso assustar-me a mim mesma


redonda

Algo que ninguém deverá pensar em experimentar fazer porque o susto é mesmo ENORME

 

Comecemos por ir ao El Corte Inglês antes do Natal.

Tudo normal, mas na saída informam-nos que não vai ser necessário pagar ou validar o talão, estão a oferecer o Parque (ou aquilo está tão cheio que é uma manobra para sairmos de uma vez e deixarmos que vão descansar).

Qualquer pessoa consciente deitaria o talão do parque fora, certo?

Claro que eu me esqueci de o fazer.

Em nova ida ao El Corte Inglês já em Janeiro, fui guardar no mesmo lugar na carteira o novo talão e na altura de pagar, troquei os talões sem me aperceber e eis que me aparece para pagar de parque:

285,00 €

quase que caí para o lado ali mesmo

(e fiquei ao mesmo tempo sem raciocinar minimamente porque ainda não tinha metido lá na ranhura o meu cartão El Corte Inglês mas na minha cabeça comecei logo a pensar que me iam debitar o dinheiro no cartão, em choque completo...entretanto, ainda não deitei fora o cartão de Dezembro, quanto é que será que iriam cobrar em Fevereiro?)

Desafio de escrita dos pássaros #2.2 É que isso de médicos, nunca fiando


redonda

É que isso de médicos, nunca fiando

 

Em casa de ferreiro espeto de pau.

 O que fará um médico quando fica doente?

Vai ver a bruxa, marca uma consulta com o Prof. Mambdu ou assalta outro médico, onde calha de o encontrar, num restaurante, no meio de um jantar romântico (agora pelo dia 14/2) no elevador ou no parque de estacionamento escuro e vazio: “Colega tem um minuto? É que estou aqui com uma dorzita…”

Desconfio que serão como cada um de nós, de todas as cores e feitios, a evitar exames e consultas há não sei quanto tempo, mas já foram anos? Ou hipocondriacamente a correrem para novas consultas: este sinal aumentou 0,000002 mm, não será de fazer alguma coisa?

Talvez também cometam o erro de ir à net quando suspeitam de algo de outra especialidade,  e saiam de lá com a convicção profunda que, ao invés de uma maleita tropical apanhada sem dúvida nas férias do ano passado. ou no anterior, quando até foram a outro Continente (não o do Hipermercado), têm é cinco ou seis doenças inoperáveis e mortais.

E como serão os seus congressos? O que é que oferecem por lá? Férias e medicamentos? Ou um cafezinho em copo de plástico e por 0,70 €?

Será que há médicos a lerem isto?

Se por acaso assim for, tenho o maior respeito pela vossa classe, até poderia ter tentado ser médica (se a ideia de memorizar nomes de doenças, químicos, e procedimentos não me assustasse e ver sangue ainda mais – até quando doava não olhava) e estou anónima - e se algum souber quem escreve neste blogue, não sou eu, algum personagem estranho abeirou-se do computador enquanto eu dormia ao lado, sem me querer ir deitar antes de escrever o texto para o Desafio - escreveu isto e enviou, - que chatice! mas o importante é lembrar: não sou eu (mas conta para o desafio).