Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

dona-redonda

dona-redonda

Desafio de Escrita dos Pássaros, 15º Tema - Eu, Rudolfo


redonda

 

O dia anunciava-se cinzento e pesado, em vez de branco e leve.

Mais de mil candidaturas que reduzi a três. Todos os outros me tinham parecido pouco sérios ou desesperados, não acreditaram na oferta e resolveram brincar, ou estavam dispostos a aceitar tudo. Os três que restavam eram humanos. Apesar de ser uma rena e não querer discriminar os meus pares, não conseguia ver os meus colegas ou qualquer outro na função do Pai Natal.

Disse para mim mesmo, Rudolfo, enquanto recrutador de recursos humanos, tens pela frente, uma tarefa quase impossível, encontrar um substituto para o insubstituível Pai Natal. Mas porque decidiu reformar-se? E tão em cima do Natal…

Escolhi homens gordinhos, para o idoso, com cabelos já brancos ou quase e para o comprido e barbas nas mesmas condições.

Pelas fotografias que enviaram não dava para ver se seriam afáveis e despachados, e como seria a sua voz, se seriam capazes de pronunciar o “Oh, Oh, Oh” como devia ser pronunciado.

Entrei na sala onde me esperavam. Não pareceram surpreendidos por me verem, nota positiva para eles, até perceber que não viam era muito bem.

O primeiro tinha enviado uma fotografia antiga, já não tinha barba, cabelo ou barriga. Rejuvenescera, explicou ter feito também uma cirurgia para os problemas de calvície e novo cabelo estar para crescer.  Sem nada lhe ter perguntado anunciou pretender reinterpretar o Pai Natal aparecendo como alguém comum, máscara de meia na cara, e sem brinquedos. Despachei-o logo. Desconfio que ele pretenderia era assaltar as casas.

Pedi ao segundo para entrar. Parecia estar tudo bem com ele. Estava disponível na Noite de Natal porque se divorciara, os filhos estavam crescidos, já não acreditavam, tinham emigrado para a França e Alemanha, com grandes empregos e carros, só regressavam no Verão. Pedi-lhe para repetir o Oh Oh Oh, e fê-lo de forma tão desanimada que tive de o rejeitar.

Entrou o último. Apercebi-me que era um urso disfarçado. Respondeu estar disponível, conseguiu um Oh Oh Oh mais animado embora ligeiramente assustador.

 Fiquei com o seu contacto para apresentar a sua candidatura ao Director Geral, Pai Natal, enquanto não se reforma, ele que decida…

 

3 comentários

Comentar post